quarta-feira, 27 de agosto de 2014

As ruínas da Roma Antiga - Palatino

Logo depois que saímos do Coliseu fomos em direção ao Palatino. Roma é dividida entre 7 colinas: Capitólio, Quirinale, Viminale, Esquilino, Célio, Aventino e Palatino. A cidade propriamente dita, situa-se a margem esquerda do rio Tibre, mas foi nas suas colinas que a Roma antiga se desenvolveu. O morro do Palatino tem esse nome derivado de Pales, deus dos pastores. Segundo a lenda da criação de Roma foi edificado aí a cidade quadrada de Rômulo:
A história começa com o nascimento de dois irmãos gêmeos, Remo e Romulo, filhos do Deus Marte com uma mortal descendente de Enéias, Reia Sílvia. Reia era filha do rei de Alba Longa e seu tio decidiu destronar o irmão e acabar com seus descendentes, como a mãe dos meninos não teve coragem de entregá-los a morte, colocou-os num cesto às margem do rio Tibre. Uma loba os encontrou e os amamentou até que um pastor, Fáustolo, os encontrou e criou até a idade adulta. Quando estavam preparados, voltaram a Alba Longa, mataram o tio-avô e reconduziram o avô Numitor ao trono. Também homenagearam a loba-mãe fundando uma cidade,  Roma, em 753 a.C. 
P.S.: anos depois Rômulo matou Remo e se tornou o primeiro Rei de Roma.

O Palatino faz parte do conjunto arqueológico mais relevante de Roma juntamente com o Coliseu e o Fórum Romano, com toda sua riqueza histórica. É história pura, as ruínas das gigantescas construções, embora não deem a exata noção de como era, te fazem viajar no tempo (esse ponto foi o único que se deixou a desejar: não tinha plaquinhas explicativas de todas as ruínas, passamos por algumas e não nos demos conta da imensidão e importância que tinham, nem o que eram).
Na época republicana, o Palatino era inteiro formado pelas Domus (as casas de famílias ricas), no Império Romano essas casas foram compradas e transformadas em grandes palácios. Pensando na precariedade de placas explicativas, criei um "roteiro" de exploração, identificando as ruínas para que possam diferenciá-las e entender seu significado!

O Roteiro:

A entrada pelo Palatino é na Via di S. Gregório (via Sacra, as ruínas do lado esquerdo são um trecho da Acqua Claudia, um dos principais aquedutos da Roma Antiga, já do lado direito é o que restou do Tempio de Venere e Roma), por onde também é possível ir até o Foro Romano, mas aconselho começar pelo Palatino pois você começa por cima e depois só vai descendo, muito mais fácil e menos cansativo.

1) Arco di Tito - Logo na entrada encontramos o Arco di Tito, os arcos do triunfo são sempre referentes a alguma batalha ou vitória militar, segundo o costume romano, para passagem dos vitoriosos, e os desenhos esculpidos representam cenas detalhadas das batalhas. Este monumento é referente à conquista de Jerusalém pelo Impedor Tito Flávio em 67 d.C. Nesta matéria de oglobo.com estão descritas algumas dessas cenas.

--
2) Subindo pela esquerda após o arco, vai encontrar uma escadaria que dá acesso ao primeiro mirante da cidade antiga e à uma linda construção (que eu procurei em todos os mapas, blogs e sites possíveis e não encontrei o nome) que me parece que é uma tumba, tem uma fonte com peixinhos e uma gruta gotejando.



O mirante e sua vista

Edifício que eu não descobri o nome

Mirante

Próximas à gruta

--
3) Criptoportico Neroniano - Saindo deste complexo e continuando o caminho, passará por este corredor subterrâneo que tem ao todo 130m de comprimento. Sua iluminação é por janelas (boca de lobo), é a conexão da Domus Tiberiana com a Domus de Livia. Originalmente sua decoração era com painéis geométricos e muitas plantas, hoje é possível encontrar alguns fragmentos da arte que foi finalizada no primeiro século a.C.


Resquício dos painéis


Por esse caminho chega-se em outro mirante, mas este com vista pra cidade


--
5) Domus di Livia - a região estava em obras, mas seguindo o caminho do túnel até o segundo mirante, você passa pela Domus di Livia. Há controvérsias entre os arqueólogos, mas acredita-se que seja uma casa adjacente à de Augusto que pertencia a sua esposa, Livia. Essa casa ainda tem os aposentos originais, como o pátio central. Foi preservada bastante, é um edifício semi-enterrado e quando não está em restauração, é possível observar esses aposentos pelas janelas.

6) Domus di Augusto - Fazia parte do complexo privado: Domus di Livia e Templo di Apolo. Sobrou um dos pátios centrais e alguns aposentos ainda com os afrescos originais datados 30a.C. Do templo di Apolo restou apenas o pedestal e parte da escadaria.

Dedo mindinho do Colosso de Augusto - Domus di Augusto



7) Domus Tiberiana - Foi o maior palácio do Palatino, construído por ordens de Tibério, sucessor de Augusto. Ele foi modificado por vários imperadores sucessores e depois da queda do Império Romano, passou a pertencer a membros da Igreja e sobreviveu até o século X. Em 1542 o cardeal Alessandro Farnese mandou construir os Jardins Farnese (primeiro jardim botânico da Europa). Hoje resta o peristilo e algumas salas que vistas do Foro Romano formam uma espetacular vista.

8) Domus Augustana - Para chegarmos até ela, voltamos por uma escadas da Domus di Augusto, o que não parece muito lógico ao ver no mapa. Nós não sabíamos para onde ir exatamente, mas foi um bom caminho: encontramos outros mirantes (para o Coliseu inclusive) e os jardins. A Domus Augustana era o palácio privado de Domiciano e no mesmo local tinha a residência de Nero (destruída no incêndio de 74). Essa casa tinha dois pavimentos (só é permitido acesso no segundo), a parte frontal oferece vista ao Circo Massimo. O canteiro central e algumas colunas ainda estão lá.

9) Domus di Flavia - um edifício anexo a Domus Augustana, servia para atividades públicas. Possuía um pátio interno com um labirinto e salas ao redor. É possível ver o labirinto, alguns fragmentos do piso e algumas bases de coluna. Uma das fontes que fazia parte da sala de jantar está praticamente intacta. Junto a esse edifício está o "Museu Palatino" que expõe peças encontradas nas escavações, a entrada é gratuita mas quando eu fui, pra variar, estava fechado para reformas.

Domus di Flavia

Domus Tiberiana



Vista do Jardim para o Coliseu


Domus Tiberiana


Domus Augustana

--
10) Stadio di Domiciano - o local era destinado a esportes, fica entre a Domus Augustana e Domus Severiana. Um campo retangular, com colunas ao redor (as ruínas destas colunas estão expostas em todo o campo), havia uma grande tribuna onde ficava o imperador. De um lado do campo, havia um semicírculo para que os competidores dessem a volta e  mais tarde passou a servir para corridas. Ainda é possível observar esse desenho, assim como uma parte da tribuna e o primeiro piso da colunata.


Domus Severiana

Stadio di Domiciano


Domus Tiberiano vista do Foro Romano

Assim finalizamos o Palatino, depois de algumas horas andando com um sol ardido na cabeça. As ruínas são bem confusas quando você não sabe onde está indo exatamente, apesar de ser sempre tudo muito fantástico, então sugiro ir com um mapinha do que vai encontrar pela frente. Neste site tem um mapa bem detalhado, em italiano!

---
 PS: Minhas fotos são tiradas de uma Nikon P510 e algumas com o Moto X câmera de 10Mp, e a grande maioria não possui filtro nenhum (só em algumas poucas que eu apareço e tento mexer na saturação, mas só). Sou fã de fotografia e gosto de ver os resultados como eles saem da máquina, aproveitando o máximo que ela pode me oferecer!

2 comentários:

  1. EU ACHO QUE VI A SAMARA MORGAN EM UMA DAS FOTOS ... A SEGUNDA OU TERCEIRA LÁ DE CIMA ...

    ResponderExcluir
  2. A SEXTA FOTO ... AI QUE MEDO !!!!

    ResponderExcluir

Hey! Obrigada por seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...